sábado, 22 de maio de 2010

Desgraça Rural

Desgraça de graça

Infâmia barata

Mórbido destino

Cenário de dor.

Mundo de fome

De homens sem nome

De vidas sem rumo

Que a miséria tragou.

Pedaço da sociedade – isolado

Da vida distante

Sem lei, sem justiça

Com fome e com dor.

Não morre de infarte

De arteriosclerose, de cancer ou aids

Mas morre da dor.

São mulheres que choram

Crianças que gemem

Homens angustiados

Nudismo forçado

Planos frustrados

Viagem sem rumo

E destino selado

Pelo abandono do doutor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DESESPERADOR

E quando menos esperamos, mais uma tragédia.  Estamos vulneráveis o tempo inteiro; não existe  lugar "seguro". Até q...