quarta-feira, 22 de junho de 2011

AS CHUVAS DA PRIMEIRA CLASSE


Um novo inverno vai chegar
Na estação.
Se não puder ser o maquinista
Seja o seu mais divertido passageiro.
Procure um lugar próximo à janela 
Desfrute cada uma das paisagens
Observe o que o tempo pode oferecer, 
E com o prazer da primeira viagem.
Não se assuste com os abismos, 
Nem com as curvas que não lhe deixam
Enxergar aos caminhos que estão por vir.
Procure curtir a viagem da vida,
Observe cada arbusto,
Cada riacho
Cada beira da estrada
E os tons mutantes da paisagem.
Desdobre o mapa e planeje roteiros
Preste atenção em cada ponto de parada  
Fique atento ao apito da partida.
Porém quando decidir descer
Veja a estação onde a esperança acenou,
Não hesite: desembarque nela com os seus sonhos...
E que os ventos e as chuvas
SEJAM SEMPRE DE PRIMEIRA CLASSE!

SEDUÇÃO


Sinto na pele o desejo
A magia e sedução
Dois desejos diferentes
Voando na mesma direção.

Sinto o desejo de te possuir
Criar asas e voar 
Sentir o vento na cara
E a vontade de te amar.

Sinto um arrepio na espinha
Quando viajo por teu corpo
Ou quando te tenho por perto 
E me amas como um louco

Sinto meu corpo a flutuar
Sinto a magia do amor
Sinto na alma as marcas
De todo o nosso calor.

terça-feira, 21 de junho de 2011

Beijos Calientes


Lábios que beijam, suavemente
Doce sentir, boca entreaberta
Nos desejos, corpos que sentem
De forma perfeita
O desejo ardente.
Lábios que beijam, apaixonadamente
Corpos sedentos, mãos que se cruzam
Corpos que se tocam, num arfar plangente
Corações que almejam corajosamente. 
Os olhos que focam o amor sentido
O nascer do beijo terno, mordido
O querer sentir, o louco desejo
Que nasce do amor, em doces beijos.
E os teus lábios, serenos, perfeitos
Tal como o amor, que há entre nós 
Nos faz trocar, o silêncio apaixonado
Por beijos calientes, tão cheios de voz.

Mais tempo prá te amar


Toquei-te devagar
Meus dedos desfilaram
Por tua pele macia.
Agarrei-te pelo pescoço,
E estremecestes.
Vieste parar nos meus lábios,
Com dedos trêmulos, 
Em respiração ofegante
Como uma corrida veloz,
Me beija com sofreguidão
Tuas pernas a me entrelaçar
E o aguardado beijo que me envolveu,
Ardente, urgente, comovente
Banha-me em ternura novamente
Libertando o desejo teu e meu.
E o calor do teu corpo envolto,
O teu cheiro, os teus braços fortes,
Dominados em sintonia perfeita 
Com a proximidade das ondas do mar
A areia quente na praia deserta
E em teu corpo
A nossa noite de amor
A implorar o sol se esconder,
Ele teimando aparecer, 
Para mais tempo poder te ter.

Esse meu corpo de mulher.


Transporto-me através do espaço
Viajo dentro dos meus desejos
Flutuo dentro dos meus pensamentos
Entrego-me de corpo e alma
A loucura de desejar-te
Não sabes, mas já me tens
Andas feliz não sabes o porquê
E reages fugindo prá bem longe
Não importa o tempo
Sempre haverá a maneira de nos encontrar
As nossas esperanças multiplicar
E nos entendermos só pelo pensar
Mas, não quero apenas assim ficar
Quero demonstrar o meu amar
Quero te tocar
E te acarinhar
Quero contigo estar.

Venha,
Te entregue ao meu encanto
Enxugarei todo o teu pranto

Venha,
Sinta meus lábios nos teus
Sinta o sabor dos beijos meus
Na velada saudade desnuda
Que já nem conhece mais. 
Eis o sabor que a tanto procuras.

Venha,
Solta os meus cabelos,
E deixa a brisa te tocar,
Onde o ontem te levou...
Que o ontem faça o teu hoje.
Deixa-me solta como estás, 
E amanhã, ah! Quando o amanhã vier,
Lembra-te enquanto puder,
Da minha presença,
Do meu gosto,
Do meu cheiro impregnado,
Do meu corpo de mulher.

NÃO!!!! não existe.

Acredito que preciso quebrar a"regra" que coloquei  de que apenas os meus textos deveriam ser postados. É chegada  a hora  de me presentear com a sabedoria de Içami Tiba:

1. A educação não pode ser delegada à escola. Aluno é transitório. Filho é para sempre.

2. O quarto não é lugar para fazer criança cumprir castigo. Não se pode castigar com internet, som, tv, etc... 

3. Educar significa punir as condutas derivadas de um comportamento errôneo. Queimou índio pataxó, a pena (condenação judicial) deve ser passar o dia todo em hospital de queimados. 

4. É preciso confrontar o que o filho conta com a verdade real. Se falar que professor o xingou, tem que ir até a escola e ouvir o outro lado, além das testemunhas.
 
5. Informação é diferente de conhecimento. O ato de conhecer vem após o ato de ser informado de alguma coisa. Não são todos que conhecem. Conhecer camisinha e não usar significa que não se tem o conhecimento da prevenção que a camisinha proporciona. 

6. A autoridade deve ser compartilhada entre os pais. Ambos devem mandar. Não podem sucumbir aos desejos da criança. Criança não quer comer? A mãe não pode alimentá-la. A criança deve aguardar até a próxima refeição que a família fará. A criança não pode alterar as regras da casa. A mãe NÃO PODE interferir nas regras ditadas pelo pai (e nas punições também) e vice-versa. Se o pai determinar que não haverá um passeio, a mãe não pode interferir. Tem que respeitar sob pena de criar um delinquente


7. 
Em casa que tem comida, criança não morre de fome Se ela quiser comer, saberá a hora. E é o adulto quem tem que dizer QUAL É A HORA de se comer e o que comer. 

8. A criança deve ser capaz de explicar aos pais a matéria que estudou e na qual será testada. 
Não pode simplesmente repetir, decorado. Tem que entender. 

9. É preciso transmitir aos filhos a ideia de que temos de produzir o máximo que podemos. Isto porque na vida não podemos aceitar a média exigida pelo colégio: não podemos dar 70% de nós, ou seja, não podemos tirar 7,0.
 

10. As drogas e a gravidez indesejada estão em alta porque os adolescentes estão em busca de prazer. E o prazer é inconsequente. 

11. A gravidez é um sucesso biológico e um fracasso sob o ponto de vista sexual.
 

12. Maconha não produz efeito só quando é utilizada. Quem está são, mas é dependente, agride a mãe para poder sair de casa, para fazer uso da droga . A mãe deve, então, virar as costas e não aceitar as agressões. 
Não pode ficar discutindo e tentando dissuadi-lo da idéia. Tem que dizer que não conversará com ele e pronto. 
Deve 'abandoná-lo'. 

13. A mãe é incompetente para 'abandonar' o filho. Se soubesse fazê-lo, o filho a respeitaria. Como sabe que a mãe está sempre ali, não a respeita.
 

14. Se o pai ficar nervoso porque o filho aprontou alguma coisa, não deve alterar a voz. Deve dizer que está nervoso e, por isso, não quer discussão até ficar calmo. A calmaria, deve o pai dizer, virá em 2, 3, 4 dias. Enquanto isso, o videogame, as saídas, a balada, ficarão suspensas, até ele se acalmar e aplicar o devido castigo.
 

15. Se o filho não aprendeu ganhando, tem que aprender perdendo.
 

16. Não pode prometer presente pelo sucesso que é sua obrigação. Tirar nota boa é obrigação. Não xingar avós é obrigação. Ser polido é obrigação. Passar no vestibular é obrigação. Se ganhou o carro após o vestibular, ele o perderá se for mal na faculdade.
 

17. Quem educa filho é pai e mãe. Avós não podem interferir na educação do neto, de maneira alguma. Jamais. Não é cabível palpite. Nunca.
 

18. Muitas são desequilibradas ou mesmo loucas. Devem ser tratadas. (palavras dele).
 

19. Se a mãe engolir sapos do filho, ele pensará que a sociedade terá que engolir também.
 

20. Videogames são um perigo: os pais têm que explicar como é a realidade, mostrar que na vida real não existem 'vidas', e sim uma única vida. Não dá para morrer e reencarnar. Não dá para apostar tudo, apertar o botão e zerar a dívida.
 

21. Professor tem que ser líder. Inspirar liderança. Não pode apenas bater cartão.
 

22. Pais e mães não pode se valer do filho por uma inabilidade que eles tenham. 'Filho, digite isso aqui pra mim porque não sei lidar com o computador'. Pais têm que saber usar o Skype, pois no mundo em que a ligação é gratuita pelo Skype, é inconcebível pagarem para falar com o filho que mora longe.
 

23. O erro mais frequente na educação do filho é colocá-lo no topo da casa. O filho não pode ser a razão de viver de um casal. O filho é um dos elementos. O casal tem que deixá-lo, no máximo, no mesmo nível que eles. A sociedade pagará o preço quando alguém é educado achando-se o centro do universo.
 

24. Filhos drogados são aqueles que sempre estiveram no topo da família

25. Cair na conversa do filho é criar um marginal. Filho não pode dar palpite em coisa de adulto. Se ele quiser opinar sobre qual deve ser a geladeira, terá que mostrar qual é o consumo (KWh) da que ele indicar. Se quiser dizer como deve ser a nova casa, tem que dizer quanto isso (seus supostos luxos) incrementará o gasto final.
 

26. Dinheiro 'a rodo'para o filho é prejudicial. Mesmo que os pais o tenham, precisam controlar e ensinar a gastar.

Calor, amor, paixão e dor

São beijos, flores, devaneios
Emoções que abalam a razão
Quase louca aos enleios
Em meu coração, a excitação.

Você me comove em lágrimas,
- ou em sorrisos 
Tudo em misturas de tanto amor.
Em tudo aquilo o que gosto
- ou que preciso
Calor, amor, paixão e dor.

Adoro ser a sua dengosa
Na verdade sou perigosa
Gata que ruge
A fera tenebrosa
A velocidade 
A ansiedade
A mocidade
O afã do glamour.

As Tuas mãos


Adoro tuas mãos em meu corpo.
Tão suaves a percorrer
Por todos os lugares.
Tocando - me através do decote 
Do vestido vermelho carmim.
Desfiando as minhas meias,
E em suspiros
Procurando a flor oculta,
Tão acesa em meu jardim.
A mão não enxerga,
- E quem se importa?
E o sapato no canto a observar,
As tuas carícias sobre mim.
E até já não aguento.
Encaro-te e peço:
Depressa, aproxima – te de mim
Não deixes que me arrependa
E feche a porta.
Não creias que sempre será assim.

Você sabe o que é um palíndromo?

Um palíndromo é uma palavra ou um número que se lê da mesma maneira nos dois sentidos, normalmente, da esquerda para a direita e ao contrário.

Exemplos: OVO, OSSO, RADAR. O mesmo se aplica às frases, embora a coincidência seja tanto mais difícil de conseguir quanto maior a frase; é o caso do conhecido: 

SOCORRAM-ME, SUBI NO ONIBUS EM MARROCOS.

Diante do interesse pelo assunto (confesse, já leu a frase ao contrário), tomei a liberdade de seleccionar alguns dos melhores palíndromos da língua de Camões... 



ANOTARAM A DATA DA MARATONA

ASSIM A AIA IA A MISSA

A DIVA EM ARGEL ALEGRA-ME A VIDA

A DROGA DA GORDA 

A MALA NADA NA LAMA

A TORRE DA DERROTA

LUZA ROCELINA, A NAMORADA DO MANUEL, LEU NA MODA DA ROMANA: ANIL É COR AZUL 

O CÉU SUECO

O GALO AMA O LAGO

O LOBO AMA O BOLO

O ROMANO ACATA AMORES A DAMAS AMADAS E ROMA ATACA O NAMORO 

RIR, O BREVE VERBO RIR

A CARA RAJADA DA JARARACA

SAIRAM O TIO E OITO MARIAS
 

ZÉ DE LIMA RUA LAURA MIL E DEZ

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Vale a pena aprender:




1 *  Aceite que há dias em que você é o pombo e outros em que você é a estátua.

2 *   Mantenha sempre suas palavras leves e doces pois pode acontecer de você precisar engolir todas elas.

3 *   Só leia coisas que faça você se sentir bem e ter a aparência boa de quem está bem.

4 *   Dirija com cuidado. Não só os carros apresentam defeitos e têm recall do fabricante.

5 *   Se não puder ser gentil, pelo menos tenha a decência de ser vago.

6 *   Se você emprestar R$200,00 para alguém e nunca mais vir essa pessoa, provavelmente valeu a pena pagar esse preço para se livrar dela.

7 *   Pode ser que o único propósito da sua vida seja servir de exemplo para os outros.

8 *   Nunca compre um carro que você não possa manter.

9 *   Quando você tenta pular obstáculos lembre que está com os dois pés no ar e sem nenhum apoio.

10 *   Ninguém se importa se você consegue dançar bem. Para participar e se divertir no baile, levante e dance, pronto.

11 *   Uma vez que a minhoca madrugadora é a que é devorada pelo pássaro, durma até mais tarde sempre que puder.

12 *   Lembre que é o segundo rato que come o queijo - o primeiro fica preso na ratoeira. Saiba esperar.

13 *   Lembre, também, que sempre tem queijo grátis nas ratoeiras.

14 *   Quando tudo parece estar vindo na sua direção, provavelmente você está no lado errado da estrada.

15 *  Aniversários são bons para você. Quanto mais você tem, mais tempo você vive.

16 *  Alguns erros são divertidos demais para serem cometidos só uma vez.

17 *   Podemos aprender muito com uma caixa de  lápis de cor. Alguns têm pontas aguçadas, alguns têm formas bonitas e alguns são sem graça. Alguns têm nomes estranhos e todos são de cores diferentes, mas todos são lápis e precisam viver na mesma caixa.

18 *  Não perca tempo odiando alguém, remoendo ofensas e pensando em vingança. Enquanto você faz isso a pessoa está vivendo bem feliz e você é quem se sente mal e tem o gosto amargo na boca.

19 * Quanto mais alta é a montanha mais difícil é a escalada. Poucos conseguem chegar ao topo, mas são eles que admiram a paisagem do alto e fazem as fotos que você admira dizendo "queria ter estado lá".

20 *  Uma pessoa realmente feliz é aquela que segue devagar pela estrada da vida, desfrutando o cenário, parando nos pontos mais interessantes e descobrindo atalhos para lugares maravilhosos que poucos conhecem.

Portanto, antes de voltarmos para casa, depositemos nossa carga de trabalho/vida no chão. Não carreguemos para casa. Podemos voltar a pegar amanhã, com tranquilidade.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

A INVEJA: Por quê temer as pessoas invejosas?



A inveja é o mais dissimulado dos sentimentos humanos, não só por ser o mais desprezível, mas porque se compõe, em essência, de um conflito insolúvel entre a aversão a si mesmo e o anseio de autovalorização, de tal modo que a alma, dividida, fala para fora com a voz do orgulho e para dentro com a do desprezo, não logrando jamais aquela unidade de intenção e de tom que evidencia a sinceridade.
Sim, eis um dos sentimentos mais torpes e difíceis de serem eliminados da alma humana. Trata-se de um dos vícios que mais causa sofrimento à humanidade.
Onde houver apego à materialidade das coisas, notadamente em seu significado, naquilo que o objeto de desejo simboliza em termos de bem-estar e status quo, aí estará à inveja, sobrevoando os pensamentos mais íntimos qual urubu ou abutre insaciável, esfomeado pela carniça.
O ser humano torna-se invejoso quando desiste intimamente dos bens que cobiçava, por acreditar, em segredo, que não os merece. O que lhe dói não é a falta dos bens, mas do mérito.
Torna-se necessário, contudo, diferenciar a inveja, a cobiça, da busca do bem-estar.
Não acredito que seja errado trabalhar para conquistar o conforto necessário, visando o aprimoramento e a eficiência em determinada atividade, sem causar prejuízo ao próximo.
Creio até que se alguém possui um objeto ou uma virtude que nos falta, desejá-los com humildade e sinceridade não é inveja. Entretanto, há pessoas que basta alguém se destacar em alguma área, por mais ínfima que seja e lá estará o invejoso, pronto para apontar o seu dedo “sujo”, e tentar minimizar o feito do outro. E qualquer coisa já é motivo para a criatura surgir.
Esse sentimento mesquinho envolve de tal forma que reúne subgrupos dentro de um mesmo grupo, a popular panelinha, que se arma contra os que conquistaram, ao longo do tempo, o seu espaço por mérito moral e intelectual, e promovem fofocas, “queimam” pessoas, “malham” as legítimas lideranças, desmerecem o trabalho realizado, e promovem intrigas. Tudo por inveja. Não há dor de cotovelo que suporte o sucesso alheio.
É por isso que, quem sabe como um castigo, a cobiça proporciona um quadro de morbidez e infelicidade para aquele que convive com esse sentimento, e é impossível separar a inveja da falsidade.
Geralmente a inveja no trabalho é relacionada ao desempenho do outro na profissão, e o é pior fazer com que este sentimento negativo prejudique a toadas as pessoas que estão ao redor.
É triste perceber que a inveja é um sentimento que aos poucos entra nas pessoas, isso de maneira pequena, sem que a mesma perceba, com isso, as pessoas invejosas não querem somente o que o outro tem, mas sim que o outro não tenha.
As formas de dissimulação são muitas, mas a inveja essencial, primordial, tem por objeto os bens espirituais, porque é mais abstrato e impalpável, mais apto a despertar no invejoso um sentimento de exclusão irremediável que faz dele, em vida, um condenado, alguém preso ao seu próprio inconsciente ditando formas de reação capazes, de muitas vezes, lhe destruir.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Diante do Desconhecido: O Temor.


Vivemos em meio a uma agitada onda de turbulências. Buscamos a todo instante questionar ou a silenciar; Na primeira hipótese somos conduzidos a um medo insuportável, onde nos interrogamos de onde e para onde vamos, o que desejamos, por que e para que.
Se silenciarmos ou “preferirmos” calar, estamos realmente atônitos, e mais uma vez o tema nos persegue diante de um desconhecido questionável.
Em verdade, a cortina que se processa diante da existência humana é vasta. Muitas e diversificadas são as especulações; Desde encontrar na religião uma pseudo-segurança para as dúvidas, até as teorias consideradas cientificistas para tentar impor a mente que em tudo há explicação. Entretanto, em cada investida, bilhões de interrogações e especulações se formam.
Quem sabe nascemos, - quem sabe - jovens, para que não possamos de logo sofrer, ou até - quem sabe - envelhecemos, para retornar a infância, e nos sentirmos frágeis, inertes e substituíveis.
O fato é que o homem diante de tantas caminhadas se encontra estático quando o assunto é a vida.
E, a cada instante em que o poder antitético se mostra (a morte), as lágrimas substituem ao medo, e a certeza de que o nosso dia poderá chegar a qualquer segundo torna-se iminente.
Essa mágica e perturbadora indagação nos conduz a clemência das nossas dores, e ao desespero incontido de solução.
Vivemos o eterno extremo: Ou nos conformamos com o que nos dizem, ou enlouquecemos com as nossas dúvidas, ou cremos na ressurreição, ou “descansamos” em sono profundo, e as nossas lutas, os nossos aprendizados, os nossos rancores e mágoas viverão como fantasmas a nos perseguir em busca de respostas que a todo instante ferem a nossa alma. Ainda assim, se quisermos fortalecer ao chamado “espírito de proteção” em preces e passos bravos, mas inseguros, encontramos a lacuna do tempo a enfeitiçar aos nossos olhos, com o contemplativo e sedutor direito de crer, de ter na fé, o botão mágico que uma vez acionado, não nos permitirá sequer pensar....Mas, somos humanos, e pensamos.











quarta-feira, 8 de junho de 2011

VOCÊ.


Você é o sol que aquece a lua
Que ilumina por todo o meu ser
O ar que respiro o coração que pulsa
Manhã em que desperto
Noite que me faz repousar
Despertar da eternidade
Farol em minha trilha
A água que refresca
A que sacia a minha sede
O pássaro que canta
Ou o lobo que uiva
Árvore da minha sombra
Fruto que produz frutos
O mar que me dá peixes
A brisa que me acaricia
A chuva em humanidade
O orvalho que rega a terra
O rio que murmura em soluços
Os sonhos que não são meus
O grito que escondi
A certeza do que plantei.



Porque Deus é bom.


Quando estiver precisando
Força e coragem,
Um pouco ou um tudo de fé,
Peça ao Senhor!
Quando se sentir
Triste e sozinho
Confie no Senhor!
Ame-o
Ele nos ouve
Em cada oração.
Quando acordar
E não sentir o sol brilhar
Não ouvir o pássaro cantar,
Louve ao Senhor!
Dê graças ao Pai
Porque Deus é bom.

04 de dezembro: IANSÃ,A ORIXÁ DO VENTO E DAS TEMPESTADES.

Eparrei Oiá Iansã é uma guerreira por vocação, sabe ir à luta e defender o que é seu, a batalha do dia-a-dia é a sua felicidade....