A Cidade dos Sonhos


De repente me vejo nessa cidade
Onde não há pranto nem ranger de dentes
Onde os peixes respiram de verdade
Onde não há falta de água e nem enchente.

Onde o leopardo passeia com a corsa
Onde ninguém força a natureza para viver
Onde a andorinha voa com o gavião
Onde o coração é a fonte do saber.

De repente me vejo nessa cidade
Onde não há guardas e também não há ladrões
Onde todo o humano é amigo de verdade
Onde qualquer ser vive em paz com o seu irmão.

De repente me vejo nessa cidade
Onde o salário é maior que a inflação
Onde o homem e a mulher vivem sem maldade

E todo humano não conhece a solidão
Nessa cidade mora a felicidade
Sendo encontrada no fundo do coração.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lixo: questão de cidadania e responsabilidade social

E porquê é natal....

Consumismo e Ostentação