quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Pétalas






Existe algo mais valioso que o ouro,
Mais doce que mel,
Envolvente como as estrelas,
Brilhante como o sol,
Imenso como o infinito,
Delicado como o arco-íris,
Suave como pétalas de uma rosa.
Sensual como a lua,
Eterno como a alma...

O meu amor!

Desejo Artificial





É impossível lembrar como tudo começou
Mas você sempre dizia:
- eu te quero por todo o sempre.
Mas, nada era como imaginava
Tudo aos poucos se transformava
Você não mais me amava
Apenas o desejo artificial.

De tanto te amar, me perdi.
E quando tudo explodiu ...
Eu novamente me encontrei.

Hoje eu penso em como tanto te amei. 

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Magia e Desilusão




Suas torres góticas,
Batendo levemente pela extravagante neblina
O barulho do luar dos lobos,
 Espalhados por toda a região.
Logo a frente, o poderoso Drácula!
Com suas vestes sombrias...
Sua clara pele
A grande escuridão
Afiados dentes
Sempre alojadas no imenso castelo,
Deitados por altas janelas
Incandescentes a luz da lua,
E aqui corro perigo!
As veias clamavam por sangue,
O doce aroma das profundezas
O mistério estava presente
A sensibilidade cada vez mais próximo
O despertar da irresistível tentação,
A extrema leveza e a facilidade,
As suas fortes habilidades,
As suas belas e sedutoras aparências,
E lábios tão encantadores...
Velocidade já não era suficiente,
As mulheres finalmente gritavam
Encanto e sedução
Magia e desilusão
Roupas rasgadas ao chão
O intenso medo,
Devora o meu coração.

domingo, 4 de dezembro de 2016

Por Uma Janela




O mundo é mostrado ... por uma janela
Minha mente navega
Meu corpo repousa.
Num piscar de olhos ...  Viajo.
Vou a um lugar em que haja paz.
Os meus olhos se abrem
Sinto o coração pulsar
As brisas do vento na pele tocar,
Enquanto bate a vontade
Novamente tento sonhar.

E a liberdade atrai a felicidade
Apesar de existir maldade
Não aceita tão doce prisão.
Um grande amor cura a saudade
Repara a dor da desilusão.
E o mais poderoso sentimento
Diante da vida faz lamentos em cor
E a cada lágrima da despedida
A certeza de que nada acabou.

Sigo diante do desconhecido
Mergulhando em um ar de limitações
Nada se ouve ...  Ou nada se cria
E aos poucos se desfaz o temor.
Se nada cabe no tempo
E nos tempos livres ficamos a chorar
Parece que não há espaço suficiente
Apenas refletir e repensar!

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Não estamos prontos para o retorno





Não estamos prontos para o retorno. Em verdade, tememos pelo invisível, por tudo o que desconhecemos, por incertezas, por aquilo que foge ao nosso controle.
Por instantes nos mostramos valentes, ambiciosos, sedutores, gananciosos, orgulhosos ou amorosos...por reflexos – e não reflexão – invadimos a privacidade alheia, e tentamos expurgar as nossas revoltas interiores com a navalha afiada da nossa língua em detrimento do outro. E quantas vezes, sem que nos apercebamos julgamos e pré julgamos aos nossos semelhantes!
Admitamos que a inveja e a soberbia ultrapassam as nossas fronteiras tão egocêntricas, e descortinamos a um horizonte que sequer sabemos se um dia estremos a nos aproximar. Falhamos e persistimos, cobramos e não pagamos, revelamos o que nunca a nós foi revelado.
E, nessa pressa louca de se apresentar como verdadeiro conhecedor de todas as coisas nos julgamos superiores, esquecemos o quanto inútil e desprezível somos diante do universo contemplativo.
Quisera retornar ao passado e modificar tudo o que já está escrito ... todavia o tempo é implacável, e não nos dá uma segunda chance. Estamos à mercê das nossas escolhas e diretrizes, e por diversas situações incorremos ao mesmo erro acreditando que o resultado poderia se transformar.
Assim, esperamos por novas e inesperadas ou não inclusões, como se o destino fosse uma peça teatral que, ao apagar das luzes, a cena se modificasse.
 O espetáculo é o mesmo, apenas não aceitamos por ingratidão a tudo o que já foi ensinado. Quem sabe a dor, a angústia vão afagar a maior obra da criação: o homem... Quem sabe o homem não vai machucar a dor de tal forma que ele mesmo não suportara as suas atrocidades ... Quem sabe - um dia - o verdadeiro HOMEM se fara presença, e seremos todos incapazes de contemplar a LUZ! 

domingo, 6 de novembro de 2016

INTOLERÂNCIA RELIGIOSA NO BRASIL




Em meio a um turbilhão de crenças, o ser humano procura encontrara a sua própria identidade. Dentre tantos preceitos, crê na imortalidade da alma, na pluralidade da existência e, através da simbologia e tantos mitos, exerce diante do próximo, a intolerância religiosa como resposta para a própria fé.
Alguns creem que o corpo é tão somente um tênue fio que se fortalece através do espírito, o qual permanece na eternidade. Todavia, para muitos não há fatos comprobatórios ou científicos para tal pensamento.
Mas, por que o ser humano após tantas descobertas e evolução, permanece inflexível quando se trata da religiosidade?
O Brasil é o país da pluralidade e preceitos religiosos tão presentes na diversidade do seu povo, o qual tem no catolicismo inesgotável fonte tradicionalista, o crescimento dos evangélicos e, em seu berço – não há o que se negar – a influência afro através do candomblé e das suas múltiplas vertentes.
É mister buscar o encontro do pensamento, ideias e ideais, onde sobretudo, o respeito seja a base sustentável para um mundo melhor, pois no Brasil a a liberdade individual de escolha de sua religião e de expressão de suas crenças é assegurada e após a promulgação da constituição brasileira de 1988 o Brasil ganhou status de estado laico.

Prof.ª Káthya Ferreira

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Chegou a hora do ENEM 2016

AOS MEUS ALUNOS:

Sim. Decididamente estou muito feliz e orgulhosa por cada um de vocês que passaram e, certamente, ainda vão passar em minha vida. 
Meus queridos estudantes e eternos aprendizes que somos, o ENEM é tão somete uma etapa a ser cumprida, pois lembrem que a grande lição a cada segundo aprendemos. E, é preciso nesta verdadeira lição, buscar o significado da nossa existência.
Parabéns aos pais, familiares e a todos os que de alguma maneira esteve e está presente em suas vidas. Um beijo para os meus alunos de todas as cooperativas de ensino que entusiasticamente representam o verdadeiro sentido de cooperar. Avante!
Quantos de vocês bem sei do esforço para concluir ao ensino médio em um País onde a educação é tratada com indiferença e desleixo, onde os mestres são tratados como subservientes de uma Nação, que tenta a cada instante evitar que a cegueira mental atinja por completo a todos os brasileiros, onde o civismo desce no esgoto podre formado por aqueles que são verdadeiros dejetos humanos. 
Todavia, acreditem: ainda é possível fazer a diferença. Não somos vencidos e sim VENCEDORES


terça-feira, 18 de outubro de 2016

A medicina da cura pelo olhar dos nossos índios







Historicamente os índios têm sido objeto de múltiplas imagens e conceituações. As diferenças culturais dos povos indígenas, dos afrodescendentes e de outros povos portadores de identidades específicas foram sistematicamente negadas, compreendidas pelo crivo da inferioridade e, desse modo, fadadas à assimilação pela matriz dominante.
Os índios se sentem parte da natureza e não são nela estranhos. Para os povos indígenas não existe doença natural, biológica ou hereditária. Ela é sempre adquirida, provocada e merecida moral e espiritualmente. A saúde sim é natural, pois é a própria vida, uma dádiva da natureza, mas cuja manutenção depende de permanente vigilância e cuidado contra os espíritos maus da natureza. A doença, portanto, é o resultado da luta interna da natureza entre os espíritos “bons” e os espíritos “maus.”
De maneira geral, os povos indígenas concebem doença como intervenção de alguma força da natureza, seja como reação da própria natureza ou por meio da ação provocadora do pajé, xamã ou benzedeiro. Antes da chegada dos portugueses, e com a eles a medicina científica, seus remédios e tratamentos eram mais eficientes, pois conheciam as doenças que os acometiam. Os colonizadores trouxeram com eles outras doenças das quais os índios não tinham noção e não podiam curar – aliás, muitas dessas doenças trazidas nem mesmo os europeus sabiam ou sabem curar até hoje. Muitos especialistas da área médica reconhecem que os povos indígenas brasileiros, por ocasião da chegada dos portugueses, já conheciam mais de 2 mil plantas medicinais e muitos povos eram capazes de realizar operações e cuidar de fraturas ósseas.
A medicina indígena é uma das expressões culturais que mais se mantiveram. A própria Organização Mundial de Saúde (OMS) tem se interessado em resgatar e valorizar as tradições da medicina indígena como um conjunto de conhecimentos e valores ancestrais que seguem cumprindo, na sociedade contemporânea, funções importantes, como o trabalho das parteiras, a eficácia das plantas medicinais e os conhecimentos dos pajés.
Intuíram o que a ciência empírica descobriu: que todos formamos uma cadeia única e sagrada de vida, por isso, a atitude de respeito em relação à natureza. Tudo é vivo e tudo vem carregado de valor, de espírito e de mensagens sobre os segredos da vida que os homens precisam decifrar para viver. Para os índios, o invisível faz parte do visível, assim como os não-humanos fazem parte dos humanos. Assim, os índios nunca buscam controlar e dominar a natureza, mas tão-somente compreendê-la, para que se sirvam dela com respeito para tirar o seu sustento e a cura para as doenças consideradas como o resultado da transgressão das leis da natureza e da vida. A natureza não é um recurso manipulável, mas um habitat, uma casa, um lugar em que se está e onde se vive. O território é um lugar sagrado, no sentido de que ele é o próprio gerador da vida.
Os saberes indígenas respondem às suas necessidades e desejos. Suas crenças, valores, tecnologias etc. provêm de um conhecimento comunitário prático e profundo gerado a partir de milhares de anos de observações e experiências empíricas que são compartilhadas e orientadas para garantir a manutenção de um modo de vida específico.
Mas, os povos indígenas, ao longo de mais de cinco séculos de contato com o mundo global, aprenderam também a conhecer e a valorizar a medicina dos brancos, centrada no uso intensivo de medicamentos e de equipamentos médicos e na concepção de doença como algo biológico, que é materializado e expresso nas demandas crescentes por medicamentos, hospitais, laboratórios e outros meios científicos e tecnológicos.
Podemos concluir que cada cultura tem forma própria de organizar, produzir, transmitir e aplicar conhecimentos – conhecimentos sempre no plural. Os conhecimentos indígenas são essencialmente subjetivos e empíricos, por isso mesmo livres de métodos e dogmas fechados e absolutos, e se garantem na efetividade prática e nos resultados concretos que acontecem no seu cotidiano. Não importa como funciona, importa sua eficácia. A natureza, e não o homem, é a fonte de todo o conhecimento. Cabe ao homem desvendá-la, compreendê-la, aceitá-la e contemplá-la.

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

O Poder do Eleitor


Será que precisamos pensar rápido? Infelizmente as tragédias acontecem, e depois quando refletimos, recordamos do velho adagio:"bem que eu disse" ou " a brincadeira se tornou em coisa séria ," e por aí vai. 
Mas, as eleições se aproximam e ainda existem pessoas que dizem vão votar num "doido" que de maluco não tem nada, porque acha engraçadinho. E aí me questiono: Por que o voto é obrigatório? Por que pessoas sem compromisso vão as urnas? Por que escolas desde cedo não incluem no currículo Ciência Política? 
O Brasil é um País que deve ser respeitado, e não vivemos em colônias, e sim em estados com suas respectivas capitais que precisam cada vez mais desenvolver se. Não podemos nos refugiar em um grande sanatório. ..ou você está sem noção?
 Vamos votar com seriedade, sem segregação, com respeito, sem comparações desleais apenas para iludir aos desinformados. Não vamos fazer da eleição mais uma forma de desestabilizar, pois em time campeão não se mexe e sim buscamos aplaudir. Kathya Ferreira

sábado, 2 de julho de 2016

P...a...r...t...i...r



Preciso comprar minha *terrinha*
Pra que eu possa “descansar” ... em paz.
Não quero que reclamem,
Ou exaltem o não sei o quê.
Mas, se prossigo vou conformada,
Ou inconformada pela insensatez.
Não desejo causar polêmicas,
Nem tampouco o questionar.
Preciso partir serena,
E pedindo pra não voltar.
Quem sabe por outras “bandas”
Encontre o que vou buscar:
A certeza da serenidade,
A decência do verbo amar.
E que seja eterno,
E pra sempre vá durar,
Envolva o belo sonho,
Encante sem machucar.


terça-feira, 21 de junho de 2016

Quem segura, atocha.

 



Tocha atocha a sem toca,
Que da toca tirada foi.
Enjaulada, sacrificada,
Alegoria do que restou,
Ultrapassa a dor que não passa ...
Mas, foi alvejada ... e nem lutou.
Uns querem tocar na tocha,
Sequer sentem a própria dor,
Enganam-se na falsa ilusória
Em um “filme” multicor(?)
.....................................................
Enquanto a tocha acesa e “apagada”
Vira e revira sem clamor
Num País de pederastas
Só nos resta o desamor.



sexta-feira, 27 de maio de 2016

Não posso me calar



Como mãe, mulher, professora e advogada que por muitos anos atuou na área criminal exponho o meu pensamento acerca do caso de estupro ocorrido no Rio de Janeiro.
O século XXI dito como de “avanços” deu um recuo sem precedentes ao tratar de algo que é essencial para o ser humano: o respeito a família. E, quando cito família quero também que fique claro, a verdadeira família cristã.
O amor ao próximo é essencial, entretanto observamos que seres humanos são “vomitados” diante da cruel crise de existencialismo, onde o que se vê é um circo de horrores, a barbárie.
Onde e como podemos aceitar filhos que não encontram valores na própria família? Sequer tem o aconchego e o exemplo dos pais? E o que dizer das escolas que hoje negligenciam? Por quê fazer de conta que tudo ocorreu “PORQUÊ”????????
Não existe justificativa nem palavra que consiga expressar a violência seja ela qual for.
Meu Deus, cuida dos nossos heróis e sobreviventes, pois tenho a honra de ser presença diante de muitos que cultivam valores. A jovem que injustificavelmente foi a presa dos seus algozes jamais será recuperada porque a dor na alma não se cura.
Parabéns a todos nós que tivemos a honra de ficar no castigo e levar sova dos nossos pais, a viver em uma época que andar na chuva, brincar na areia ou na lama, correr atrás de borboletas, de esconder, brincar de roda, e tantas outras recreações nos deixaram mais alegres e capazes de sentir o coração do nosso irmão parar de bater.
O que encontramos no século das inúmeras futilidades é a apoteose da falta de essência, a superficialidade, a ausência da harmonia, a dor da profunda ferida que destrói as almas.
Se posso pedir algo ao meu filho, sobrinhos e alunos (Ex alunos não existem), o farei. Continuem com essa pureza de espírito, esse brilho no olhar, essa responsabilidade que tão sabiamente adquiriram dos seus pais, e traduzam essa emoção para a geração que lhes é confiada, pois é preciso declara o amor com firmeza e dignidade, sabendo exemplificar e ser exemplo.
E que Deus nos abençoe, Káthya




Me pergunto a todo instante
Se nesse mundo existe a presença de um deus.
Seja ele preto ou branco, amarelo ou sem cor
Necessita se fazer ver, e mostrar o seu valor.
Não existe um só viajante
Dessa esfera multicor
Onde os sentidos são "sentidos"
E repercute em forma de dor.
São mulheres, homens ou crianças
Animais indefesos e sem vigor.
Todos torturados, abalados,
Indignados pela ausência do amor.
Gritos são abafados,
Choros incontidos pelo pavor,
Risos inconformados,
Diante da perversidade do horror.
Alguns declaram que é o
progresso,

Crescimento ou o que for!
O fato é que a desgraça
No mundo se instaurou.





quinta-feira, 5 de maio de 2016




Gostaria de cumprimentar a todas as mães: as que pariram por seu próprio ventre, as que se entregaram a maternidade pelo amor incomensurável e incontido, as que sonharam embalando um bebe em seus braços, ou até mesmo sonharam e não se predispuseram a desafiar e aprender o maior de todos os dons: o dom do amor.
Maternidade não é simbologia, nem precisa de adjetivos para se qualificar, até porque não existe entre as palavras, uma classe para destinar. Todavia, se faz necessário saber maternar, amparar, entender, criticar, superar ... ensinar.  E, por mais sublime que seja, de nada adiantaria envolver se num ato tão sagrado, se não souber amparar e ser amparado pela sabedoria do não!
E as afirmativas são sucessivas, e muitas vezes tão doloridas, tão desprezíveis que nem são compreendidas, e se envolvem na magia dos sentimentos, que se faz apodrecer diante da dor por não saber conter na melodia doce da negativa diante do perspicaz “esplendor”.
São momentos inexplicavelmente invencíveis, porém por serem antitéticos, tornam-se poderosos e doadores, gananciosos, perturbadores, amorosos e, por que não mencionar, deliciosamente sem pudores.
São meninas, mães, mães meninas, velhas, velhas mães e tão sozinhas, tão entregues a vida, a vida vidinha, detentoras da supremacia, que nenhum poder vai superar. São capazes de encarar o universo, viajar por todos os mares, envolver se na nebulosidade, ou no encanto de uma noite de luar. Transformam o mundo e se transformam, fogem desesperadas de gaiolas, e conseguem a plenitude alcançar! São mães ... são mães ... suavemente e decididamente ... são mães.

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Hipocrisia




Existem amores e desamores
E precisam de  sabedoria, 
Serão histórias com começo e fim,
Acabam como retratos de amo,r
Dissipam-se como ondas no mar,
São frágeis, fúteis, vazias,
Eivadas de harmonia,
Ou completas de desamor.
São pedaços contados da vida,
Casos ou acaso as escondidas,
Retratos deixados na dor.
Perpassam por muita agonia
Explodem meio a hegemonia,
Cansadas pelo desamor.

terça-feira, 29 de março de 2016

Seguirei





Os prazeres da vida devem ser vivenciados
É preciso permitir a felicidade
Eu mereço após tantas coisas,
É necessário a satisfação do ego
Vou me divertir
Afastar-me voluntariamente do desprazer.
Estimular o que me parecer satisfatório
Satisfazer aos meus sentidos
As coisas belas, gostosas, estimulantes
Observarei.
Vou na direção da felicidade,
Muitos vão tentar me persuadir,
- Nem sempre com más intenções–
Ainda assim, me afastarei
Quero chegar aos meus verdadeiros objetivos
Seguirei a minha sua própria intuição!



segunda-feira, 28 de março de 2016

Não Tô Nem Aí





É chegado o momento:
Vou romper com a estagnação.
Cortarei implacavelmente todas as coisas,
... pensamentos, hábitos e até pessoas.
Procurarei sustentar meus pensamentos,
Também as minhas opiniões.
Não importa se desencadearei antipatia.
É o meu momento de renovação
Buscarei ideias novas que fervilham
Tomarei iniciativas que vão me retirar da rotina e do tédio.
Embarcarei em nova e deliciosa aventura
Não me preocuparei tanto.
Estou na fase da vida onde a atitude mais sedutora
É aquela que não prima pela docilidade,
Mas que se compromete com a verdade.
Ainda que não agrade não há como negar
Sou o poder da sedução
Sei agir com integridade
Sou fiel à verdade!

sexta-feira, 18 de março de 2016






Ciência Política é coisa séria. A ciência que estuda o funcionamento e a estrutura do Estado e das instituições políticas, também tem como objeto de estudo a relação entre os elementos que estão no Poder (Governo) e os demais cidadãos.
Inicialmente, a ciência política abordou a política a partir de uma perspectiva filosófica (através de pensadores como Maquiavel, Hobbes, Montesquieu, etc.), mas posteriormente passou a ser uma análise preponderantemente jurídica. A sociedade pressupõe uma convivência e atividade conjunta do homem, ordenada ou organizada conscientemente.
A política é a arte e a sabedoria de conquistar e de manter estável o poder; o fazer o bem; não é propriamente um fim, mas um meio de ganhar o apoio dos cidadãos para a conservação e a estabilização do poder, empregado em paralelo com outros meios também válidos, como o marketing, o controle da mídia, o clientelismo, o populismo e até mesmo a mentira, a violência e a corrupção. Este é o conceito derivado das interpretações mais correntes dos conselhos de Maquiavel e é o que melhor se enquadra nas concepções da ciência política moderna. A ética e política sempre tiveram uma intensa relação dialética de conflito.
Na dialética da política com a mentira colocam-se também os esforços de mobilização para adesões com compromissos apenas relativos com a verdade; se a moral, no âmbito do indivíduo, admite margens de flexibilidade no que respeita aos seus princípios, a ética, que preside as ações na perspectiva da coletividade faz a renúncia ou abre mão de seus princípios, simplesmente flexibilizando-os.
Mas, até onde podemos nos deixar ser transformados em marionetes dentro de uma sociedade democrática? Até quando, displicentemente nos tornaremos inimigos dos nossos “amigos” por querer acreditar em “verdade” forjadas? Até quando vamos nos contentar com as migalhas que são descaradamente jogadas a um povo sem escolaridade e sem o senso crítico do seu Ser?
Na democracia representativa que se vai consolidando como sistema político e meio de conquista do voto, que é a via de legitimação própria do sistema, decorre a necessidade humana de alimentar expectativas existenciais positivas e as falsas promessas, que se enquadram na mentira política. Hoje, não temos sequer um líder para o Brasil que represente a honra, a seriedade, a nobreza de caráter; estamos diante do caos, que vomita para as nossas famílias (e muito mais para os nossos jovens) a excrecência de uma podridão ética e social capaz de dissimular e atrever -se a desafiar não e tão somente a Suprema Corte, e sim as palavras significativas da nossa flâmula: ORDEM e PROGRESSO.

quarta-feira, 9 de março de 2016

Tráfico de Pessoas




Existe a necessidade de um profundo exame de consciência: de fato, quantas vezes toleramos que um ser humano seja considerado como um objeto, exposto para vender um produto ou para satisfazer desejos imorais?
O tráfico humano, também chamado de tráfico de pessoas, é uma das atividades ilegais que mais se expandiu no século XXI, pois, na busca por melhores condições de vida, muitas pessoas são ludibriadas por criminosos que oferecem empregos com alta remuneração. Esses “agentes” atuam em escala regional, nacional e internacional, privando a liberdade de indivíduos que sonham um futuro melhor.
A pessoa humana não se deveria vender e comprar como uma mercadoria. Quem a usa e explora, mesmo indiretamente, torna-se cúmplice desta prepotência.
O tráfico de pessoas consiste no ato de comercializar, escravizar, explorar, privar vidas, ou seja, é uma forma de violação dos direitos humanos. Normalmente, as vítimas são obrigadas a realizar trabalhos forçados sem qualquer tipo de remuneração – prostituição, serviços braçais, domésticos, em pequenas fábricas, entre outros –, além de algumas delas terem órgãos removidos e comercializados.
O tráfico de pessoas muitas vezes não aparece, porque “às vezes”, a vítima e a família têm “vergonha” de denunciar. O governo federal tem adotado medidas contra o tráfico, como o Plano Nacional de Combate ao Tráfico de Pessoas. É inaceitável o crime de tráfico de pessoas, não importa a modalidade do crime. É absurdo, de qualquer maneira, seja o tráfico de mulheres, crianças e em quaisquer outras dimensões. E merece um gesto de reação muito forte da sociedade
“Infelizmente”, o número de inquéritos policiais que tratam do crime ainda é “muito pequeno” em relação ao crime. As mulheres são o principal alvo, pois o retorno financeiro para os traficantes é maior, visto que a prostituição, atividade mais desenvolvida por pessoas do sexo feminino, é o destino de 79% das vítimas do tráfico humano.
O Brasil é palco de importantes eventos internacionais como a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos, no Rio de Janeiro, em 2016. A realização destes eventos aumenta a oferta e a procura pelo turismo sexual. Denúncias de trabalho escravo e exploração sexual, sobretudo de menores, fazem parte das manchetes dos nossos jornais quase de forma cotidiana.
Atualmente no Brasil, o tráfico de pessoas é maior fonte de renda com tráfico, superando o tráfico de drogas e o tráfico de armas movimentando, aproximadamente, 32 bilhões de dólares por ano, segundo dados do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime.
Mas não basta protestar e indignar-se.
É preciso exigir providências para que o tráfico humano desapareça dos horizontes nacionais: Que sejam cobradas ações efetivas dos Poderes Executivo e Legislativo. Que se exijam posições firmes e rigorosas do Ministério Público. Que o Poder Judiciário, devidamente provocado, não se cale, nem transija. Que a sociedade civil como um todo assuma sua grande parcela de responsabilidade.

A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira




A violência contra as mulheres é uma grave violação dos direitos humanos. Seu impacto varia entre consequências físicas, sexuais e mentais, incluindo a morte. Ela afeta negativamente o bem-estar geral das mulheres e as impede de participar plenamente na sociedade, gerando consequências negativas também para suas famílias, para a comunidade e para o país em geral.
A violência tem ainda enormes custos, desde gastos com saúde e despesas legais a perdas de produtividade, impactando os orçamentos nacionais e o desenvolvimento global. Há nove anos, o governo brasileiro sancionava a Lei Maria da Penha, instituindo mecanismos para combater a violência doméstica e familiar contra as mulheres. Desde então, a Lei, que reúne medidas de prevenção e punições para as agressões, se tornou o principal instrumento legal de enfrentamento à violência doméstica contra a mulher no Brasil.
A ONU Mulheres vai priorizar o apoio à Secretaria de Políticas para as Mulheres para garantir a aplicação da Lei Maria da Penha e do programa recém-lançado “Mulher, Viver sem Violência”, que visa aumentar o acesso de mulheres e meninas vítimas e sobreviventes, visto que a cada duas horas, uma brasileira é morta em situação violenta. Uma em cada cinco mulheres afirma ter sofrido algum tipo de agressão por parte de um homem.
A igualdade entre homens e mulheres é necessária para a construção de uma sociedade baseada em princípios onde esteja inserido a educação, tanto na escola quanto em casa, pois somente através dela temos o poder de ajudar a mudar os valores de uma sociedade.

terça-feira, 1 de março de 2016

A necessidade de agir







Entramos em nosso "ano novo pessoal."
As atenções se voltam para nós,
 Resgatamos nosso brilho de alma.
Aproveitar ou não este momento depende de cada um.
Pensar o que está por detrás das resoluções
Considerar a qualidade natural da nossa vida.
Verificar qual é a qualidade do nosso céu
Apontar as correntes e navegar no rio da nossa vida.
Acreditar que a força pessoal se renova
Existe um poder maior para realizar desejos.
 E é preciso ouvir o céu,
Saber ler o que revela as predisposições naturais
Fazer as resoluções certas
Compreender as nossas próprias perspectivas
Cultivar uma postura mais compreensiva
Se colocar no lugar do outro
Sofrer testes, mas não fracassar.




sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Há Tempo





Há tempo para se divertir,
Há tempo para a quietude,
Há tempo para maior reflexão
Há tempo para a meditação
Há tempo para a tranquilidade
Há tempo para evitar afazeres excessivos.
Há tempo para conversar com alguém
Há tempo para as coisas que incomodam
Há tempo do diálogo tranquilo
Há tempo para mudar nos outros
Há tempo para mudar dentro de si!

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Agir, no momento certo.








É importante a reflexão
Fria e analítica
Em relação aos fatos do mundo:
Se faz necessário.
Há momentos em que
Não adianta reagir emocionalmente às circunstâncias,
Em que é melhor se recolher
E avaliar
Partir de uma perspectiva mais fria, mais elevada.
O importante, no momento,
É julgar da forma mais imparcial possível.
Procurar ao máximo agir de maneira diplomática.
É preciso, pois o momento assim exige.
As circunstâncias poderão ficar bem difíceis
E a tentação de agir
De uma maneira impulsiva
Será muito grande.
Manter a calma e sossegar
Ficar na espreita, e ...
No momento certo:
ATACAR!

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

E Ela Cresceu ...



Então, fiquei a pensar numa letra de uma música que tivesse algumas semelhanças entre as nossas vidas, e foi aí que ...
“Você é assim/Um sonho pra mim/E quando eu não te vejo
Eu penso em você/Desde o amanhecer/Até quando eu me deito
Eu gosto de você/E gosto de ficar com você/Meu riso é tão feliz contigo/O meu melhor amigo é o meu amor.
E a gente canta/E a gente dança/E a gente não se cansa/De ser criança/Da gente brincar/Da nossa velha infância.
Seus olhos, meu clarão/Me guiam dentro da escuridão/Seus pés me abrem o caminho/Eu sigo e nunca me sinto só”.
Minha Luy, você é assim e eu sou agradecida a Deus por me conceder o direito de ter vc minha filha! Um orgulho imenso de estar ao seu lado nesses primeiros passos na universidade. Feliz daquele que pode nesse mundo tão miserável e ingrato unir as mãos e dizer: Obrigada Senhor porque a minha filha é a presença da Tua misericórdia em minha vida: Deus lhe abençoe, conte comigo, pois somos almas gêmeas por toda a eternidade.

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

H A R M O N I A



                                                      
H
A
R
A
Faça coisas diferentes, e permita-se à mudança,
Compreenda as fases da vida
Tudo é atual e interessante.
Aprimore a si mesmo
- Significa pôr-se em movimento –
E até mesmo gaste algum dinheiro.
Dinamize a própria vida
Encare a si
Como seu próprio investimento.
Canalize para o sólido e positivo,
Os resultados e retornos são favoráveis.
Tenha melhor equilíbrio
E o resto da sua vida se harmonizará.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016






Existem circunstâncias em que não podemos ser tão “bonzinhos”, em que precisamos –
Escravos da ganância e da ambição
Assumirmos uma postura
De maior competição,
E o desejo pelo poder
Sobre as coisas do mundo.
É verdade que a sociedade nos leva ...
A sentir culpa!
Todavia, assumimos as rédeas
Do nosso destino:
É preciso ter o poder

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016


Os pássaros voam
Voam sem parar
Seguem sem destino
Nem sabem onde chegar.

E voando, vão
Voam, sem direção
Não percebem o  perigo
E se espalham
Por esse mundo bandido
Onde o teto é o buraco no chão.

Querendo te namorar



Nesse olhar inocente
E sorriso resplandecente
Desperta desejo ardente
De abraçar teu corpo quente.

Mas em noite brilhante
A lua incessante
Riscou meu olhar trepidante
Desejoso e palpitante
Querendo te namorar.

Mas, eis que surge verdejante
Entre folhas e pétalas penetrante
Misteriosamente ...
Implacavelmente ...
Retumbante ....
A minha voz ofegante ...

kkkkkkkkkk
Querendo te namorar.

Amanhecer





Surgem no horizonte
Os primeiros raios de luz:
É o amanhecer!
E a Terra que se encante
É a chegada da esperança
Nova chance, mais uma oportunidade.
É mais um dia para amar e ser amado.
Se libertar das ilusões .... Mais um dia para ser feliz;
Ampliar a nossa capacidade perceptiva
Alterar em nossas estratégias
A felicidade não está na ausência de problemas
Mas em compreender e sair do problema
Os percalços são abençoados
Nos tiram da omissão
Conduzem as respostas da mensagem cifrada
Ofertam sim nas pequeninas oportunidades
Bênçãos pelo amadurecimento.
Em um dia será profícuo e luminoso!

Preciso colo de mãe

Preciso alguém que me diga boa noite ou bom dia. Preciso alguém que se preocupe comigo, me queira bem. Preciso alguém que me d...