terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Rasgou a Mente



Lágrimas na vida distantes do passado,
Doces recordações em imagens tão presentes,
Angústias despidas, e que ficam ao lado,
Dores sufocadas, tão pouco pungentes.

Fantasmas desdenham de tão lúgubre lembrança
Descortinam a vida das supostas histórias
Resvala-se em risos satânicos, irônicos...
Comovem-se da dor imaginária, e crescente.

Resta saber o que é feito da história
Se for válido pensar e se fazer gente
Rever aquilo que ficou na memória
Rasgou o espaço, dilacerou a mente.

Preciso colo de mãe

Preciso alguém que me diga boa noite ou bom dia. Preciso alguém que se preocupe comigo, me queira bem. Preciso alguém que me d...