Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2011

Bestas Humanas

Imagem
Horas vadias desse submundo Imundo... Imundo. Onde ando? Esgoto profundo Veia, canal Que me leva ao mundo.
Voraz, mortais Todos são animais Toscos e canibais Infiéis e nada mais. Em busca do leva e traz Sedentos e bestiais Um dia querem a paz!

Podemos começar de novo?

Imagem

Morcego da Sublocação

Imagem
Em sol a pino Lavrei a terra Cavei o chão Queimei a carne Calejei a mão. Amarelei o meu sangue Mas nutri meu patrão.
Nos sulcos de uma gleba Plantei sementes Escondi meus sonhos E passou o verão. E vieram as águas Colheram os frutos Eu fiquei na mão.
Não tive opção, “chupei” o dedo Abençoa, mãe! Enxuguei as lágrimas Cai no mundo Caminhei em vão.
Se aqui cheguei

Estrela Guia

Imagem
Meu pensamento voa Por esse universo. Penso em você tão longe Procuro as respostas, Mas não consigo encontrar. Eu sou a sua estrela O seu brilho, o seu anil E tudo é mistério. Mas estou aqui Em cada versar o acordar Em cada viver o recordar Em cada manhã irei te amar.

VOCÊ TEM MEDO DE QUE?

Imagem
Ninguém sabe quantos vivem Ou quantos foram enterrados. Na memória da pátria existe Os irmãos que foram separados.
Há quem ainda sonhe Em ver seu irmão voltar A máquina tudo controla O pensamento não vai controlar.
E nós, vivemos o lado claro Sofrendo e sabendo o quanto é duro. Em todos os dias – sem exceção Ver o sol se por atrás dos muros.
E no lado sinistro do muro Almeja-se a liberdade. Você tem medo de que? Lutar pela verdade?
Imagem
Nasce em meu ser a liberdadeEm passos livres e desejos Ardentes e prazerosos Únicos em meu viver.
Pensamentos... Espaços... Desejos amiudados. Translúcida libertação.
Desconheço a força Oh! Alma latina - Mas sei que existe Viver sofrida desilusão.
Artérias, veias sangrentas Possuídas de amor e paixão Deixem que o tempo sustente O peso da minha emoção.

E o tempo passou.

Imagem

HOMENS e CUPINS: Que Forte Coincidência. Coincidência?

Imagem
Cupins: quem são eles? Serão os humanos? Os homens são criaturas ditas sociáveis, e que muitas vezes buscam cavernas para procurarem o seu esconderijo, e nelas constituem a chamada organização, onde tem como objetivo principal a preservação dos seus ideais. E os cupins? Esses são insetos sociais, de hábitos subterrâneos e vivem em colônias altamente organizadas, onde o princípio básico é a sobrevivência da colônia e não do indivíduo. Quanto a forma de alimentação preferida, veremos que, é a matéria orgânica morta ou em decomposição, mas alimentam-se também de “vegetais” vivos. Os cupins são considerados insetos eussociais, pois vivem em colônias formadas por indivíduos especializados, os quais estão organizados em castas, de modo que cada uma delas assuma funções específicas, como reprodução, defesa da moradia, aquisição dos alimentos, dentre outras. E assim, muitas vezes age o homem. Cada casta possui indivíduos com uma morfologia específica, de acordo com a função desempenhada na sua s…

O Que Nos Resta?

Imagem
Trabalhar na área de educação em sala de aula no século XXI, e fazer parte do século passado, no mínimo é hilário em meio a um aprendizado sem limites. Sim, a primeira pergunta que me faço constantemente é: Por onde estão os pais? O que sabem realmente dos seus filhos?Jamais direi que a unanimidade se esconde em caixas de presentes, onde eletrônicos de última geração, capazes de transmitir em alta velocidade dados que, em pesquisa através dos velhos livros demorariam meses, e hoje abraçam ao egoísmo consciente do ter e não ser. Em verdade, as conquistas para que as crianças e adolescentes preencham o “tempo” em cursos de natação, balé, capoeira e tantos outros, parecem demonstrar que o desejo é de ocupação, para que possa de alguma forma apresentar como uma pseudo justificativa ao seu próprio ego, de que os filhos estão sendo assessorado por tudo o que eles desejam. Mas, eles desejam? Quem deseja? Qual a vivência das crianças e jovens com um dia de chuva, a corrida atrás da formiga, a ga…

Coro de Pétalas

Imagem
Um coro de pétalas ardentes
Canta o perfume do amor
Que paira no ar nesse instante Tal qual a mais bela flor. E como um cravo sorridente
Se oferece sedutor,
Para a degustação do doce pólen Inebriante de amor.
Nele, os nossos corpos se encontram Inalam a incandescência do desejo
E arrebatados de júbilo,
Mergulham na essência do beijo.
A volúpia da seda dos lençóis
Acaricia-nos a pele impetuosa
E o espelho extasiado
Celebra tão longa espera.

DIA DAS MÃES

Imagem

Todos vão fingindo ser decentes

Imagem
Refletindo sobre a moralidade que reina nas sociedades e suas constantes alterações com o tempo, só consigo chegar a uma única conclusão: a sociedade esconde as suas hipocrisias atrás da máscara da moralidade. Quando voltamos em qualquer parte do tempo passado e construímos uma ponte comparativa com os dias atuais, notamos como os conceitos morais foram alterados, como as pessoas passaram a aceitar moralmente o que antes era tido como imoral. Alguns justificariam tais mudanças dizendo ser isto conseqüência da evolução humana, outros poderiam dizer que faz parte do amadurecimento da sociedade quebrar determinadas regras, e sempre haveria uma “desculpa” para justificar a tais alterações. Mas será que eu encontraria alguém que dissesse: “Isto é apenas uma nova maquiagem na velha máscara que cada um de nós carrega.”?  Poderia aqui selecionar centenas, milhares de fatos que aconteceram no mundo e que, com o tempo, sofreram alterações no padrão do conceito moral de alguma forma. Mas não preci…