terça-feira, 27 de maio de 2014

Ninguém se basta.




Todos nós precisamos de uma relação, pois ninguém é feliz sozinho. E nessa relação precisamos de admirar e sentir desejo pelo outro, mas também precisamos de sentir que o outro nos admira e deseja com a mesma intensidade.
É com o outro que aprendemos o verdadeiro significado da palavra amar; é impossível ser feliz sem ninguém pra nós amar ou fazer parte da nossa história. “Os olhos já não podem ver, coisas que só o coração pode entender, fundamental é mesmo o amor, é impossível ser feliz sozinho” citava Tom Jobim em uma das suas canções, pois constatou que a sensação da harmonia que buscamos só poderá ser encontrada a dois, na união amorosa. A aliança intensa e forte entre os seres humanos é como o grande remédio para o desamparo que nos acompanha.
Viver nas grandes metrópoles é hoje bem mais livre e tolerante para com o exercício de uma forma pessoal de ser. Por outro lado, a sensação de solidão cresceu muito, entretanto estamos cada vez menos dispostos a fazer concessões, a ceder às pressões do outro.
É preciso a presença de um amor para preencher a solidão crescente, que chegou com a industrialização e com a migração para os centros urbanos.


segunda-feira, 26 de maio de 2014

Ao Avesso: BRASIL - LISARB.




É chegado o tempo em que o povo brasileiro faz cumprir ao seu hino:
Mas, o sol já não encontra a liberdade, e sim penumbras.
Conseguimos tantas conquistas, todavia sem honras nem glórias.
A igualdade e a liberdade não permeiam ao nosso povo.
Os sonhos se tornaram pesadelos,
Jaz a esperança, todavia a fome permanece ...
O desemprego, a falta de escolaridade,
A ausência da saúde, a desumanidade,
A violência, a impunidade.
Imenso por sua própria criação
Teimas em ser o gigante que não quer acordar.
Vislumbras a filhos fortes todavia espedaças aos corações.
Não! Os teus filhos não fogem as lutas.
Somos rebeldes e maltratados,
Estamos sendo violentados
Diante de um solo dito gentil,
Nessa terra que é o Brasil.
Se o teu berço é esplêndido, nos resta o cárcere,
Caso fulgures e ainda ilumines,
Os teus prados foram invadidos
Os teus mares estão afogados,
Ah! E em nossos céus temos medo da estrela.
Quisera poder gritar Pátria amada
Que somos os teus filhos, ó terra mãe.
Mas se nem na justiça existe a sorte
Nos resta dizer:
Ressuscita meu País!

domingo, 25 de maio de 2014

Ufa !!!!!!


  
Deixe que entre ...
O ar que eu respiro,
E penetre em meu corpo
Para me oferecer o dom da vida.
Desejo os meus olhos, pois através deles consigo também lhe ver.
Preciso dos meus braços para que outros braços possa tocar.
Sentir sorrisos e afagos,
Ter as minhas pernas e poder caminhar.
Ah! É muito triste viver em solidão,
Contemplar e não admirar,
Ter e não possuir,
Dormir e não sonhar.
É dolorido esse seu amor
É impossível esse seu clamor
É inatingível, pois é doentio
É calculista e se torna frio.

sábado, 24 de maio de 2014

Analfabetismo Funcional no Brasil




A condição de analfabeto funcional aplica-se a indivíduos que, mesmo capazes de identificar letras e números, não conseguem interpretar textos e realizar operações matemáticas mais elaboradas. Tal condição limita severamente o desenvolvimento pessoal e profissional. O quadro brasileiro é preocupante, embora alguns indicadores mostrem uma evolução positiva nos últimos anos.
Não é por acaso que o contingente de leitores de livros no Brasil seja tão pequeno em relação à população. Se comparado a países desenvolvidos, a média de leitura por habitante é lamentável. Como mudar esse árido cenário?
Os estudos internacionais indicam que é necessário perceber que a familiaridade com a leitura não é adquirida de forma espontânea. A experiência mostra, segundo o Ministério da Cultura, que as nações avançadas produzem seus leitores em larga escala. Em todas elas, os fatores infraestruturas envolvidos na de geração de leitores revelaram-se os mesmos: estímulo à leitura na família e na escola.
É necessário investir na qualidade da educação para extirpar o analfabetismo funcional. Projetos isolados não vão produzir resultados se não estiverem no bojo de um trabalho maior e contínuo. A capacidade de utilizar a linguagem escrita para informar-se, expressar-se, documentar, planejar e aprender cada vez mais é um dos principais legados da educação básica.

Consumismo e Ostentação




O consumismo é uma das características marcantes da sociedade. Sua principal função se volta para a própria essência do capitalismo, ou seja, a venda de produtos e serviços com vistas à apropriação do lucro. Ocorre que, se a ideologia do consumo se vincula a interesses mercadológicos, o seu grande sucesso, bem como suas conseqüências, transcendem questões de natureza meramente econômica. Nesse sentido, é preciso discutir alguns elementos que permeiam a lógica do consumo na sociedade capitalista e algumas de suas consequências.
É assaz comum associar o consumismo ao capitalismo, pois ambos quase que se confundem. Não obstante, antes do advento da sociedade capitalista tivemos alguns pressupostos do consumismo: a cultura do consumo. Um importante itinerário para se pensar o consumismo é através da cultura de massas, a qual penetra na intimidade das pessoas, fundamentalmente através da identificação e da projeção, onde inseridos em um universo repleto de valores e situações enaltecedoras e prazerosas, fazendo com que aquilo que se intenciona vender, venha carregado de uma gama de simbolismo, isto é, determinados produtos e serviços representam aquelas situações ideais, tanto do ponto de vista dos valores quanto do prazer.
O consumismo veiculado pela cultura de massas é poderoso não apenas pelo fato de concretizar o lucro capitalista, mas de contemplar outros elementos que habitam a dimensão valorativa e subjetiva das pessoas. Contribui para a manutenção das estruturas do sistema capitalista não apenas através do lucro, mas funciona como um mecanismo de aceitação das pessoas às conturbadas e difíceis condições sob as quais se vive.
Assim, a ideologia de consumismo diz muito da nossa sociedade, porém de forma subjacente: ela não fala apenas da riqueza presente nos produtos e serviços consumidos, mas expõe as várias faces da dimensão afetiva valorativa - seja do indivíduo, seja da sociedade – presentes no universo real e irreal do consumo. 

Preciso colo de mãe

Preciso alguém que me diga boa noite ou bom dia. Preciso alguém que se preocupe comigo, me queira bem. Preciso alguém que me d...