LOUCOS AMANTES



A AGONIA DO DESEJO
A PAIXÃO QUE DESESPERA
A ESPERA E O PESADELO
O AMANTE LOUCO POR ELA.
ELA NÃO ENTENDE PORQUE NÃO CONSEGUE
 E SE CONSEGUE TENTA FUGIR
LEVANTA SE ETERNA LOUCURA. 
E ESTRANHA FLOR EM UM JARDIM.
 EM UM ABAJUR VERMELHO ESMAECIDO
 A SUA PRÓPRIA IMAGEM VÊ.
EM UM VELHO ESPELHO ESPATIFADO
DEITA SEU CORPO A SOFRER.
SÃO ESTRANHOS E VELHOS LENÇOIS
MACIO, SEU OLHAR LHE SEDUZ
PORQUE LEVA A OUTROS LUGARES
TÃO DIFERENTES
DOS QUE CONDUZ.
E OLHA FASCINADA SOMBRAS DISTORCIDAS
NAS PAREDES VELHAS DO QUARTO
ESCUTA O TUMULTO DO MAR
COMO SE ESCUTASSE AO SEU CORAÇÃO.
O BARULHO DA MAÇANETA NA PORTA
FAZ SALTAR OS PENSAMENTOS
E ELE CHEGA TÃO RUDE, E ROMÂNTICO
RASGANDO AS VESTES SEM PUDOR.
ESMAGA, MORDE, SUFOCA
DESFAZ-SE DAS ROUPAS QUE TEM....
ATIRA SE AOS BRAÇOS DELE
NADA IMPORTA NEM NINGUÉM.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lixo: questão de cidadania e responsabilidade social

Consumismo e Ostentação

E porquê é natal....