domingo, 8 de agosto de 2010

Doce Amar.

Os raios quentes de o seu fascinante olhar
Meu sangue um dia conseguiram incendiar
E meu coração finalmente descongelar
Obrigando-me a enlouquecer, a “pirar”
Para loucamente te amar,
Atiçando ainda mais a tão louco desejo
Seu ofegante e ardente respirar
Um tempestuoso instinto fazia adivinhar
O que num grande esforço consegui retardar...
Mas em frações de segundos acabei por me denunciar
E em seus braços me deixei amar !

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DESESPERADOR

E quando menos esperamos, mais uma tragédia.  Estamos vulneráveis o tempo inteiro; não existe  lugar "seguro". Até q...