Fabiano, sinha Vitória, o menino mais velho e o menino mais novo. E Graciliano?

O nordestino ainda é um forte? Por onde anda Fabiano e a força de um homem capaz de tanger a seca com a sua dor e a sua garra? E a sinha Vitória que Graciliano retratou diante da rudeza e dos seus sonhos, mas sempre a companheira e fiel escudeira?
Menino mais velho e menino mais novo. Esses sim sobreviveram diante das mazelas que a vida oferece, pois continuam sem rumo e sem nome.
É mister acordar a essas crianças e lhes oferecer vida. Mostrar que somos um povo capaz de vencer a qualquer obstáculo. Temos a esperança como lema. Não precisamos e nem dependemos da força inegável da "cachorra Baleia" para suprir a nossa fome. Devemos despertar o orgulho de ser brasileiro, uma raça que nasceu para lutar e procriar filhos amados, e não delinquentes e delinquidos, que teimam em sobreviver como guerreiros fortes. Por onde estão os nossos jovens que sabem representar tão bem a essa Nação?
Chega de drogas, de violências, de fomes.
Não somos néscios, e sabemos que as catástrofes que insurgem no mundo são partículas soltas desse emaranhado que se tornou o nosso planeta.
Acorda Fabiano! Levanta sinha Vitória. O mestre Graciliano proclamou, e precisamos resgatar as nossas famílias.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lixo: questão de cidadania e responsabilidade social

E porquê é natal....

Consumismo e Ostentação