quinta-feira, 8 de abril de 2010

Não Matáras.

                              
Estagnada, estarrecida, e com a sensação de imensa dor, olhava e relembrava o caso Daniela Perez. Eis que diante dos meus olhos no televisor e, de outros telespectadores estava um ator a demonstrar o que mais fez em sua vida: a encenação.
Maquiavélico, arrogante, perspicaz e porque não dizer, nojento, tentava mais uma vez ser a vítima diante da dor de uma mãe que até hoje sofre pela perda da sua filha.
Guilherme de Pádua e tantos outros personagens desse palco que é a vida, não perdeu nem por um instante o prazer de apresentar os seus dotes teatrais. A capa que buscou para encobrir-se foi a religião, em palavras de um contexto bíblico que não condizem com o texto.
Esqueceu o que esta escrito: Não Mataras!
Hoje, envolvido com uma igreja (coisa que é corriqueira entre os detentos), fala e proclama, mas não clama ao verdadeiro sentido da fé e amor a DEUS..
Até onde vai a estupidez humana?
A audiência do programa na emissora da televisão deve ter chegado ao topo, e consequentemente a imagem de mais um patife foi exposta. Quem sabe muito em breve outros também não vão buscar respaldo na telinha que transforma heróis em bandidos ou vice-versa.
 A resposta tão esperada por todos não foi ouvida, até porque jamais será pronunciada, visto que nem todo aquele que diz: "Senhor, Senhor!" tem o verdadeiro DEUS no coração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Preciso colo de mãe

Preciso alguém que me diga boa noite ou bom dia. Preciso alguém que se preocupe comigo, me queira bem. Preciso alguém que me d...