Borboleta

                       
Perdida fico entre o medo e o meu amor...
Quero o calor do seu cheiro
Quero celebrar os meus desejos.
Eu sou mãos ansiosas a lhe procurar,
E sou língua ávida a lhe lambuzar...
Prazer é a sua pele,
A sua voz em charme é paz. 
Nela, ouço sonatas. 
Venha, desata este nó.
Sou única, sou uma só.
Em borboletas, em desejo, em compreensão.
Em paixão e fascínio sou pura emoção
Meu corpo é luz a lhe declarar 
E bem junto a você fico a desfolhar
O amar me indetermina.
Em (des) tempero, em fervor
Criativa bem além das entrelinhas
Estou tão sozinha,
Preciso lhe reencontrar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lixo: questão de cidadania e responsabilidade social

E porquê é natal....

Consumismo e Ostentação