Teu ou meu jardim florido.

Vou te beber em vinho
Em descaminhos de mim.
Teu jardim florido
Todinho feito para mim.
 E você... Vai subir pelas paredes, 
pelos telhados, pelos muros
em calmo escuro...
As minhas mãos prontas em doação.
Te canto, canção, te consumo,
te incendeio, e te uso...
E canto a mais linda canção.
Queimarei tua pele, teus pêlos, 
teu banho, teus medos,
nem sabes dos meus segredos...
Nem me conheces mesmo...
Mas guardes o suficiente... Para ti.
Incoerente? Mas serei sempre a melhor...
E se não sabes motivo para se render 
Ah! Você... Quero te roubar este prazer.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lixo: questão de cidadania e responsabilidade social

E porquê é natal....

Consumismo e Ostentação