Marcas do Tempo

Ontem escutei algo que instigou com a minha aceitação. Ouvi que uma pessoa amiga, que quando mais jovem badalava pela vida, e expunha as suas qualidades tradicionalmente conhecidas como beleza interior, estava deprimida, fechada em si, em sua casa, em sua casca, e não aceitava que o tempo tivesse passado e mudado aquilo o que outrora concebeu como verdadeiro.
Mas... O tempo passou. E levou consigo ou deixa conosco tudo aquilo o que soubermos apreciar e guardar para possíveis desesperanças.
Quando a juventude toma conta da nossa espécie humana nos envaidecemos e, na grande maioria, não nos damos conta de que o amanhã vai nos proporcionar mudanças e reflexões.
Penso em mim. Creio que a minha vida já se constitui uma história, porém – não, não e não, com um desfecho já designado. Acredito que podemos e devemos construir a nossa história, e de cada capítulo faremos uma nova apreciação.
Quem sabe ao acordar e encontrar o espelho, possamos não gostar da aparência que vimos refletida...Ou talvez a presença marcante das marcas que as experiências amargas deixaram com sofreguidão em nosso rosto. Chega por conseguinte o desânimo  e a tristeza, e tentamos esconder a lágrima que escorre como se insistisse em nos fazer desistir.
É nessa hora que precisamos deter as mágoas daqueles que mais acreditávamos estar ao nosso lado, e percebermos que somos - sim capazes de superar. E a palavra é superação.
Quando nos amamos o tempo, as mágoas, os ressentimentos passeiam em nossa vida e, tiramos proveito da oferta. Faz-se necessária a aceitação e uma atitude de carinho. de boa vontade para consigo mesma, o que poderá ser possível, se tomar consciência de todas as qualidades que possuímos, e nos orgulhamos.
Se não nos aceitarmos do jeito que somos, a nossa auto-estima estará comprometida. Somos os verdadeiros responsáveis pelas escolhas que fazemos e que moldam a pessoa que somos. 
De nada vai adiantar ouvir as críticas que nos fazem se não extrairmos dela o aprendizado e a vontade de auto questionamento do que o outro crê que seja verdadeiro. E por que o outro esta certo e eu errada? Por que não posso ou não devo arriscar nas minhas escolhas, nas minhas dúvidas?
Aprendemos mais quando sentimos que levamos uma chicotada devido à falha que tivemos.
Agora sim, é necessário dizer que a idade não completa a sabedoria ou a experiência, pois muitas são as pessoas que atravessaram as suas fases vitais com medo de arriscar.
Hoje, diante do que encontra no espelho, foge para a sua amargura, e carrega consigo a dor de ter vivido e não existido.

Comentários

  1. Kátia, minha irmã

    Parabéns pelo seu Dia que também é o Dia Internacional da Mulher. Parabéns pelo belo texto e reflexão madura sobre a vida e os efeitos que o tempo nos causa. Saber envelhecer também é uma arte. Muitos passam pela vida e perdem a oportunidade de viver. Erros e acertos são uma constante e o que fazemos com eles é que faz a diferença. Saber transformar tudo isso em aprendizado é o que nos permitirá crescer e, melhor ainda, é compartilhar desse aprendizado com aqueles que nos cercam. Feliz Aniversário, feliz vida.

    Com carinho e admiração,
    Herval

    ResponderExcluir
  2. Um pensar, que faz a cada dia ter mais orgulho de tê-la como MÃE.. Deus na sua infinita sabedoria soube trazer nesta mestra a sabedoria maior... A sabedoria do ato interior...
    Parabéns por mais um ano de existência, porque como mesmo relata em suas lindas crônicas, o que seria desta vida se não pudesse testar todos os limites e viver intensamente cada segundo.. Saber viver sem dúvida é a sua maior virtude... Parabéns & Paranbéns e muito obrigado por existir na minha mida.. Meu orgulho.. Minha mãe!!!

    ResponderExcluir
  3. Se ao lado de um grande HOMEM existe uma grande mulher, é chegada a hora de mudar ao jogo: SE SOU UMA GRANDE MULHER É PORQUE TENHO UM FILHO QUE É UM GRANDE HOMEM.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Lixo: questão de cidadania e responsabilidade social

Consumismo e Ostentação

E porquê é natal....