segunda-feira, 14 de março de 2011

ÂNSIA.


Na ânsia por um beijo,
Minha boca se une a tua.
A respiração se entrecorta
E os nossos olhos se enchem
Do desejo dessa loucura.
Tuas mãos acariciam por meu corpo,
Que de imediato responde ao leve toque
E num aguardo ansiosa
Espero ao momento da tua posse.
Transborda – se o vinho do prazer.
Ah! Quanto querer quanto querer...
Nos perdemos nesse louco desejo
Que cresce e despe as nossas almas
E, assim pouco a pouco
Esvai-se mais um sonho, somente meu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DESESPERADOR

E quando menos esperamos, mais uma tragédia.  Estamos vulneráveis o tempo inteiro; não existe  lugar "seguro". Até q...