A Cada Amanhecer do Meu Viver



Hoje vou vestir-me de Ti
Perfumar com os aromas do teu corpo
Com as cores do teu sorriso 
Com o brilho do teu olhar…
Na existência deste mundo perceptível…
Vou reinventar-te na luxúria do meu desejo
Na vontade deste beijo
Que tanto pede e te quer.
Desta alma que te chama
Deste corpo que te clama 
Do pulsar deste coração,
Que te ama mesmo a distância
Que se sente e consente
As dores dessa paixão.
Em cada momento único, e diferente
Vou vestir-me com a ousadia
Sorrir para Ti com alegria
Na entregar entre o carinho e a ternura. 
E por entre abraços-gemidos
E delícia-loucura
Deleitar-me-ei no teu olhar cintilante
Que me invades de rompante
A cada amanhecer do meu viver.
Mas, hoje vou desafiar a volúpia
E seduzir a todo o êxtase
Vou render-me ao teu toque 
E entregar-me ao prazer…
Hoje o meu corpo implora
Vem!!!
Brinca comigo…
Faz-me Tua e
Vem possui-me
Possuí essa mistura de prazer
De ternura e loucura
De tesão e doçura
De alma, e da candura
Do corpo e do coração. 
Desta química-sintonia
Que nos inunda completa e invade…
Amarra e me provoca
Mostrando o quanto queres ter.
E quando me sussurras ao ouvido
Palavras desse doce querer
Damos as mãos à ternura
Neste grito do espírito
Pelas veredas da loucura
Envaidecemos ao nosso ser.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lixo: questão de cidadania e responsabilidade social

E porquê é natal....

Consumismo e Ostentação