segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Senhor! Senhor!


Senhor!
Sou tão imperfeita diante da tua bondade
Tão feliz por ser existência
Tão carente do vosso amor
Tão estúpida ante as incertezas
Tão complexa quanto à racionalidade
Tão frágil quanto o desamor.

Mas, Senhor!
Peço-te e clamo
Jamais te profano
Grito em teu louvor.

Pois sou pequenina
Ainda menina
Diante do teu amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DESESPERADOR

E quando menos esperamos, mais uma tragédia.  Estamos vulneráveis o tempo inteiro; não existe  lugar "seguro". Até q...