Senhor! Senhor!


Senhor!
Sou tão imperfeita diante da tua bondade
Tão feliz por ser existência
Tão carente do vosso amor
Tão estúpida ante as incertezas
Tão complexa quanto à racionalidade
Tão frágil quanto o desamor.

Mas, Senhor!
Peço-te e clamo
Jamais te profano
Grito em teu louvor.

Pois sou pequenina
Ainda menina
Diante do teu amor.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lixo: questão de cidadania e responsabilidade social

E porquê é natal....

Consumismo e Ostentação