Ponta de Esperança



É tão simples,
Mas nem sempre entras na sintonia.
Confio e me entrego docemente,
Sem resistências,
Como num mergulho no desconhecido.
Lembro do primeiro momento
De todos os acontecimentos,
Escolho a consciência tranquila
Mesmo quando tudo parece perdido,
Quando a tristeza se apossa do meu ser,
E o desânimo abate.
Surge um farol em meio à tempestade
É a ponta de esperança
É a liberdade para que finalmente sejas feliz.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lixo: questão de cidadania e responsabilidade social

E porquê é natal....

Consumismo e Ostentação