quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Arroz e Feijão


Debruçada na janela
Não apenas vejo o tempo passar
Pressinto
Percebo
Observo
O que em cada dia há.
Não sou a Carolina - do Chico
Nem a Amélia - que alguém sonhou.
Nesse mundo sou um mimo
Do circo onde a tela é o terror:
São homens psicopatas
Mulheres que vem e vão
São crianças germinadas
Como o arroz ou o feijão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Preciso colo de mãe

Preciso alguém que me diga boa noite ou bom dia. Preciso alguém que se preocupe comigo, me queira bem. Preciso alguém que me d...