DIA DAS MÃES

Em cada dia da minha vida
Mais uma luz se descortina
E me lembro ainda menina
 O prazer de com bonecas brincar.
O tempo passou sorrateiro
Apareceram bonecos faceiros
E uma boneca me deu a presentear.
Cuidei, cresceu, um mimo.
E logo um lindo menino, chegou a abrilhantar.
Porém, Deus faceiro e sorrindo
Em um ramalhete muito lindo
Enviou Louisy para complementar.
Achei que o jardim se completava...
As flores agora desabrochavam
Em sementes a me acariciar.
Hoje duas riquezas me oferece
E para sempre a minha espécie
Haverá de perpetuar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lixo: questão de cidadania e responsabilidade social

E porquê é natal....

Consumismo e Ostentação