sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Aquilo que é meu.


Desenhamo-nos lentamente
Percorrendo aos nossos desejos
E escorre na pele
O que já não é segredo
E escapamos em desespero.

Desejo-te!
Arrepia a minha vontade 
De ter o agora e o todo
Bebo-te e bebe-me!
Oh! Sangue novo
Audácia e malícia
Sonhos loucos.

Cresce a ânsia 
De te desenhar 
De me desenhares 
Com o lápis de cera e brilho da lua. 
A boca é um palco 
Aonde vão dançando
O nosso sabor sem critério…
E o esboço do esboço.

Bailam em nós, ávidas e sedentas
Loucuras de um amor quase juvenil,
Enquanto nos tocamos, nos escondemos.
E em pó, em cumplicidade,
Celebramos um sonho varonil. 

À flor da pele, da minha pele
Semeias arrepios...
Deponho este frio 
Moldado, quente e envolvente
Amaciamos o silêncio em olhares
Translúcidos e transparentes
Ardentes a palpitar.

Recolhe-te em mim!
Vem passear-te
Sulca o trilho...
Percorre ao meu ser.
Mas deixa que eu use e abuse 
Que de todo me lambuze!
Cada pedaço daquilo que é meu. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Preciso colo de mãe

Preciso alguém que me diga boa noite ou bom dia. Preciso alguém que se preocupe comigo, me queira bem. Preciso alguém que me d...