Entrei na vida, - não se se por acaso,
- mas aqui estou perplexa diante dela.
Ás vezes sinto e percebo o perfume das flores,
Em outros momentos...
Arrasa-me as dores causadas por espinhos.
Busco o lugar certo,
Embora saiba que não existe,
E quero saber.
Nem sempre se ganha,
Por vezes se perde.
Nosso ego nem sempre processa a ideia,
Mas cedo, ou tarde,
Precisamos compreender humildemente
Que não podemos tudo.
E, que mesmo as pessoas mais positivas
Passam por duros golpes.
Temos duas escolhas:
Ficar se lamentando pelos cantos, ou reagir.
Ou compreender a perda,
Como processo necessário de aprendizado.
Prefiro a segunda opção.
Sacudo a poeira e dou à volta por cima rsss!  
Ou em cima do que me machucou.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lixo: questão de cidadania e responsabilidade social

E porquê é natal....

Consumismo e Ostentação