terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Se tenho um blog., prá que serve? VOU PROTESTAR


Sou baiana sim, mas o orgulho não é fazer parte dessa Bahia.
A minha Salvador é sim, de outra era.
As lágrimas vieram ao meu rosto quando desembarquei na cidade soteropolitana, mas um pouco antes ouvia e via o pânico dos que estavam a bordo comigo de um transatlântico, informados de que a cidade estava em sinal de alerta vermelho. Pela primeira vez percebi que as cores realmente tinham representatividade.
O tempo passa, é verdade! E quando passa, o menos que esperamos é deixar marcas positivas em uma sociedade; Entretanto, mataram a minha Salvador, a terra onde nasci e aprendi a amar.
Sofri desesperadamente ao ouvir dos que estavam a bordo, de que nada perderiam se não visitassem a minha cidade, até porque era fétida, suja, um cartão postal maquiado e verdadeiramente manchado por impurezas. Tentei - sem êxito - desmascarar aos que se vangloriavam de falar que nada mais havia da cidade que outrora teria sido o berço do Brasil.
Chorei... Porém alguns dias se passaram após o meu desembarque, e chegou o carnaval. Ainda orgulhosa da minha baianidade fui às ruas encontrar o meu povo, as nossas músicas e o nosso ritmo.
E logo ao primeiro dia na avenida vi uma cidade realmente fétida e invadida por seres promíscuos, que exibiam o pior do que se pode esperar de uma cidade por onde tenha ocorrido civilização.
Desesperada fugi....Mas, voltei para a segunda-feira da mudança do bairro do Garcia, mas conhecida como Mudança do Garcia.
E, para o meu desespero, embora estivesse comigo um filho que em épocas passadas olhava e falava o que poderia contribuir para os erros, para a mudança do nosso estado, do nosso País, encontrou almas perdidas, sôfregas, que ostentavam corajosamente palavras esboçando o descontentamento diante de uma cidade aprisionada por governantes que desgraçaram com um povo outrora feliz.
Esse povo viveu a ditadura explícita e condenada, mas hoje convivem com a ditadura disfarçada, em que são proibidos vergonhosamente de invadir as teias do Campo Grande, local considerado os “olhos do turismo” onde os grandes heróis desse povo, e também massacrados são os policiais, que certamente envergonham-se de representar á lei. Eles - coitados – também estão reprimidos e assassinados. Sequer sabem se terão retorno para os seus lares. Sequer sabem para onde vão. Sequer percebem o quão valorosos são para essa nação.
Cheguei a lembrar á letra da música: “Caminhando e cantando, e seguindo...” E segui...
Busquei desesperadamente pelo povo que fez parte da velha mudança e descobri que foram abatidos pela opressão, que não estavam entre os que corajosamente invadiam á avenida clamando pelo dom de viver. Ouvi o toque da velha bandinha, e o mestre Val tentando segurar a emoção...
E diante da miséria e podridão que se instaurou no carnaval da Bahia apenas lamentei, e postei nessas palavras a dor e a revolta por tudo o que esta sendo feito para exterminar com uma cidade que é o berço de um País chamado BRASIL.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Preciso colo de mãe

Preciso alguém que me diga boa noite ou bom dia. Preciso alguém que se preocupe comigo, me queira bem. Preciso alguém que me d...