Mar Revolto


Transbordante de desejos 
Tão sozinha eu almejo
Chegar ao teu coração 

Na contramão. 

Rompo em devaneios 

Meus segredos
E anseios 
E como num barco
De amor 
Vamos bailar
Flutuar
Neste mar da paixão. 

É alucinação. 

E em loucura percorres
Por meu corpo 
Em minhas curvas, pareces insano 

Enalteces aos meus tormentos
E vais invadindo desesperadamente. 

Cale-se! 

Não faças barulho! 

Poderás ter embrulho 

Sou mar revolto 

E em meu corpo serpenteias. 

Socorro! 

Desastre! 

Somos um grande gigante 

Que desvairadamente 

Ao meio vai se partir
E como um Tsunami 

Tudo vai se devastando 

Mas agora volto a dormir.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lixo: questão de cidadania e responsabilidade social

Consumismo e Ostentação

E porquê é natal....