Será que se quebram as amarras?

                                 
Corrente ou chicote para o povo
Ou quebrem-se as amarras.
- e que não seja em vão...
Que ronquem as cuícas
Que toquem os clarins
Que Deus seja pelo povo
Que Ele olhe prá mim.
São velhos, são aleijados
Cegos, mudos, adoentados
Em busca da solução.
E o povo amedrontado
Vivendo da ilusão.
Foram feitas uniões
As chamadas coligações
E a moral desse País
Rasteja em busca do chão.
Bebidas são proibidas
A lei não se cumpre. Não!
É sempre o jeitinho brasileiro
O "santinho" não casamenteiro
E o trenzinho da corrupção.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lixo: questão de cidadania e responsabilidade social

E porquê é natal....

Consumismo e Ostentação