Ansiosa em desejo.


Dentro de mim repousa uma alma
Louca de amor perdida em paixão
Peregrina de todos os dias
Caminhante das manhãs,
Ansiosa em desejos,
Afoita, acesa, até ardil.
Queixa-se, mas não é gueixa.
Busca em súplicas teu corpo
Hoje tão leve... E tão sombrio.
Rasga a mortalha do desespero
Enleva-se em pensamentos mil.
Louca, grito, mas não me ouves.
Pareces desdenhar o meu sentir.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lixo: questão de cidadania e responsabilidade social

E porquê é natal....

Consumismo e Ostentação