Nossos Caminhos




(esse texto é dedicado a Tadeu Grisi após um longo e maravilhoso¨papo")

Acredito que todos nós escolhemos livremente os nossos caminhos, seja pressionado pelas emoções, baseados em nossos sentimentos, ou envolvidos em nossas ilusões. O fato é que escolhemos ao preferir esta ou aquela oportunidade, ao fazer este ou aquele conceito, ao colocarmos em nossos próprios olhos as lentes com as quais preferimos enxergar à vida.
Vivemos em busca de algo que nem sempre sabemos o quê ou o porquê. E, baseados nesta busca, passamos a vida fazendo escolhas desde cedo. São vários caminhos há escolher, mas somos responsáveis pelo qual seguiremos. Em qualquer um encontraremos dificuldades o que não indica a desistência, pelo contrario é necessário Precisamos tentar mesmo que p êxito não seja naquele instante alcançado; ainda assim teremos a honra de pronunciar: Eu posso ate não ter conseguido o que eu queria, mas nunca desisti.
A vida e uma aventura para ser vivida, e somos os responsáveis pelo perigo que vamos enfrentar e as armas para o combate.
Ao despertar apontamos aos pensamentos a direção ao que vamos seguir naquele dia, os compromissos assumidos, as escolhas que acreditamos serem favoráveis, e entre as questões diárias, resolvemos agir ou reagir diante do que nos é apresentado. Escolhemos sempre diante do que sentimos, e tudo o que cultivamos com o tempo conforme nos é apresentado como valores para cada situação, dentro das vivencias para cada um de nós.
Quando despertamos que somos nós quem designou os valores dentro dos conhecimentos obtidos, podemos abrir o entendimento à responsabilidade que temos diante da nossa vida, do nosso cotidiano, da nossa sintonia que é mantida envolta à nossas próprias escolhas.
Ás vezes estes caminhos não nos permitem voltar, e temos que arcar com as consequências, porque por mais forte que seja o desejo, nem tudo pode ser como queremos e nem sempre estamos certos do que é o melhor.
E o que somos hoje é consequência das escolhas do passado também através das pessoas que entram em nossa vida para nos ensinar dor ou amor, alegria ou tristeza, sabedoria ou ignorância. Com os pais aprendemos a como nos comportar e os ideais, aprendemos na escola como ler e escrever, desenhar, pintar, ter amigos, e aprendemos a amar. É verdade que encontramos em nosso caminho pessoa boas e ruins ou interessantes e monótonas, também que é preciso acordar cedo e chegar a algum lugar, pegar sol, chuva e frio, ter preocupações, responsabilidades, e pessoas que também dependeram de nós.
Por mais difícil doloroso e cansativo que seja o nosso trajeto, mas toda a felicidade, alegria e conhecimento foram adquiridos ao longo do caminho; e com o passar, logo também poderemos ensinar algo.
Daí, podemos escolher com maior clareza ao que desejamos receber da vida, cientes de que tudo parte de nós, uma vez que a força da vida está para cada um, e essa segue a energia que se mantém na direção dentro do que nos é inerente.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lixo: questão de cidadania e responsabilidade social

E porquê é natal....

Consumismo e Ostentação