Endereço? É o teu nome.




Não há mal maior para o homem
Além da estupidez ou da maldade
São almas estreitas, sem bálsamo,
-  porém venenosas -
Capazes de desmistificar e desanimar a virtude,
De ter vergonha do ser honesto.
Frias, observam e deixam acontecer
Fazem com que o mal seja feito!
Perversa, tem levado vidas, e um grande infortúnio
Na prudência egoísta, em nada arrisca.
Tem a natureza vulgar, dura e insensível;
Sua metamorfose é dura e implacável
Por que faz parte da vida a que pertenço?
Por que atrai tanta dor e sofrimento?
Até quando calarei ao seu lado?
O sofrimento é opcional
Aceitar o desafio do silêncio, é magistral ...!
É soberano.






Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Lixo: questão de cidadania e responsabilidade social

E porquê é natal....

Consumismo e Ostentação